Mau hálito (halitose) tem solução?

Um certo grau de halitose matinal é considerado fisiológico. Ele acontece devido a leve hipoglicemia, a redução fluxo salivar durante o sono e ao aumento da flora bacteriana anaeróbia proteolítica. Quando esses microorganismos atuam sobre restos epiteliais descamados da mucosa bucal e sobre proteínas da própria saliva, geram componentes de cheiro desagradável: metilmercaptana, dimetilsulfeto e principalmente sulfidreto.

Após a higiene dos dentes (com fio dental e escova), da língua e após a primeira refeição (café da manhã), halitose matinal deve desaparecer. Caso isso não aconteça, podemos considerar que o indivíduo tem mau hálito e que este precisa ser investigado e tratado.

As pessoas que tem mau hálito constante, por fadiga olfatória, não percebem seu próprio hálito. Podendo conviver com esse problema por longos períodos de tempo sem se darem conta. A maneira mais simples de identificá-lo é pedir a um familiar ou a um amigo de confiança que faça essa avaliação para você ou procure um dentista para que este possa ajudá-lo no diagnóstico e no tratamento da halitose.

As causas da halitose podem ser por razões fisiológicas, ou patológicas. Podem ser sistêmicas (de ordem geral), no entanto, 96% dos casos de halitose provêm de razões locais como cáries, presença de tártaro, doença periodontal ou presença de saburra lingual. Por isso, pode-se concluir que todas as causas devem ser investigadas e que o tratamento será de acordo com a causa investigada.